A reflexão de hoje esta no Salmo 63, vejamos:

1 Ó Deus, tu és o meu Deus; ansiosamente te busco. A minha alma tem sede de ti; a minha carne te deseja muito em uma terra seca e cansada, onde não há água.
2 Assim no santuário te contemplo, para ver o teu poder e a tua glória.
3 Porquanto a tua benignidade é melhor do que a vida, os meus lábios te louvarão.
4 Assim eu te bendirei enquanto viver; em teu nome levantarei as minhas mãos.
5 A minha alma se farta, como de tutano e de gordura; e a minha boca te louva com alegres lábios.
6 quando me lembro de ti no meu leito, e medito em ti nas vigílias da noite,
7 pois tu tens sido o meu auxílio; de júbilo canto à sombra das tuas asas.
8 A minha alma se apega a ti; a tua destra me sustenta.
9 Mas aqueles que procuram a minha vida para a destruírem, irão para as profundezas da terra.
10 Serão entregues ao poder da espada, servidão de pasto aos chacais.
11 Mas o rei se regozijará em Deus; todo o que por ele jura se gloriará, porque será tapada a boca aos que falam a mentira.

¿Podemos dizer igual do que o salmista: a minha carne te deseja muito? É verdade que Deus permite esses momentos duros para nós sentir essa motivação de buscar-lhe. Também é verdade que quando nós encontrarmos muito cómodos  esquecemos buscar de Deus e Ele tem que fazer-nos passar por esses momentos para que entendermos que fora de Ele não somos nada.

O salmista diz algo muito importante no versículo 3: “a tua benignidade é melhor do que a vida”. Neste Salmo encontramos uma pessoa que tem muito claro que o mais importante é Deus, que fora dele é impossível viver, que Deus é mais de que a vida mesma, já que tem pessoas que ainda tivessem com vida estão mortos porque não tem Deus.

Amado leitor, se você não tem conhecido ao único Deus verdadeiro, te dizemos que se você não tem Ele, ainda você pareça estar com vida esta morto e você necessita Ele, já que por Ele respiramos, nos movemos e somos. Sem Deus o homem esta perdido e necesitamos comprender essa necessidade de esse Deus absoluto.

Posted in

This article has 4 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *